NOSSOS PRODUTOS

Produzimos chás e temperos orgânicos com processo artesanal, dentro das normas de produção orgânica pela Rede de Agroecologia Ecovida, através do certificado nº 86/2015 e pelo selo do Sabor Gaúcho de produção artesanal.

  • Abacateiro
  • Alcachofra
  • Alecrim (folhas)
  • Alecrim (pó)
  • Alfafa (folhas)
  • Amoreira
  • Arnica lanceta
  • Artemísia
  • Assa Peixe
  • Avenca
  • Babosa
  • Bardana (folhas)
  • Boldo (amargo)
  • Boldo orô
  • Cabelo de milho
  • Calêndula
  • Camomila
  • Capim Cidreira
  • Capuchinha
  • Carqueja
  • Carquejinha
  • Catinga de mulata
  • Cavalinha
  • Chá de bugre
  • Chá digestivo
  • Chá emagrecedor
  • Chá habú
  • Chapéu de couro
  • Cipó mil homens
  • Coentro
  • Confrei
  • Dente de leão
  • Endro (sementes)
  • Erva baleeira
  • Erva cidreira
  • Erva de S. João Hipérico
  • Erva de S. João Mentrasto
  • Erva de bicho
  • Erva de Santa Maria
  • Erva santa
  • Ervas finas
  • Espinheira Santa
  • Eucalipto (cidró)
  • Funcho (folhas)
  • Funcho (sementes
  • Ginko Biloba (folhas)
  • Ginko Biloba (pó)
  • Guabiroba
  • Guaco
  • Guaxuma (raiz)
  • Guiné
  • Hortelã
  • Insulina
  • Jambolão
  • Jurubeba
  • Laranjeira (folhas)
  • Levante
  • Limeira
  • Losna
  • Louro (folhas)
  • Malva
  • Malva cheirosa
  • Manjericão (folhas)
  • Manjericão (pó)
  • Manjerona
  • Macela
  • Melissa
  • Menta
  • Mil em rama
  • Murta
  • Nogueira
  • Pariparoba
  • Pata de vaca
  • Picão preto (folhas)
  • Poejo
  • Quebra pedra
  • Quebra tudo
  • Quina
  • Quitoco
  • Sabugueiro
  • Salsa (raiz)
  • Salsaparilha
  • Salva da gripe
  • Sálvia (folhas)
  • Sálvia (pó)
  • Sene
  • Sete sangrias
  • Tansagem
  • Tayuyá
  • Urtiga
  • Yacon
     
     
     
     
     
     
     
     
     
Alcachofra
(Cynara Scolumys)

A alcachofra serve para ajudar no tratamento de anemia, aterosclerose, diabetes, doenças do coração, febre, fígado, fraqueza, gota, hemorroidas, hemofilia, pneumonia, reumatismo, sífilis, tosse, ureia, urticária e problemas urinários.

A alcachofra é uma planta medicinal, também conhecida como Alcachofra-hortense ou Alcachofra comum, muito utilizada para emagrecer ou para complementar tratamentos, tais como: baixar o colesterol, combater a anemia, regular os níveis de açúcar no sangue e combater os gases, por exemplo.

O seu nome científico é Cynara Scolymus.

As propriedades da alcachofra incluem sua ação anti esclerótica, depurativa do sangue, digestiva, diurética, laxante, anti-reumática, anti-tóxica, hipotensora e anti-térmica.

Cavalinha
(Equisetum)

Os benefícios do chá de cavalinha são variados, indo do tratamento de hemorróidas, à queda de cabelo.

Esta erva é usada com grandes resultados para a cura de quase todos os tipos de hemorragia que ocorrem no corpo humano. Também trata a tuberculose e problemas renais. 

O chá é poderoso contra problemas na bexiga, seja infecção ou incontinência urinária.

Trata-se de uma erva muito rica em sílica, portanto, o chá contribui para a reparação dos tecidos, crescimento dos cabelos e das unhas, e auxilia na prevenção da osteoporose.

Por conta da presença de certas enzimas em sua composição, a cavalinha é muito eficaz para eliminar germes e parasitas do organismo. Reduz o inchaço nos olhos, e reforça o sistema imunitário.

A infusão de cavalinha é um dos remédios naturais que apresenta melhor resultado na eliminação de piolhos e ácaros dos cabelos. Basta fazer o enxague dos cabelos com a infusão três vezes por semana para eliminar o problema.

O consumo regular reforça o organismo contra o reumatismo, a artrite e dores nas articulações, inflamações na próstata, uretra ou da bexiga, e faz com a cicatrização dos tecido ocorra de maneira muito rápida.

Também é conhecida por apresentar restabelecimento veloz em casos de fratura nos ossos, luxações e distensões.

Restabelece danos no pulmão, diabetes e insuficiência cardíaca. É tido como remédio natural contra o câncer. Beber 3 xícaras deste chá por dia elimina pedras nos rins.

O seu poder diurético torna a cavalinha como excelente emagrecedor. Entretanto, é recomendado não utilizá-la em conjunto com outros diuréticos, ou com remédios para emagracer. A interação pode ser danosa para o organismo.

O cuidado com a cavalinha também deve ser especial por parte dos fumantes. Esta erva contém nicotina, e bebê-la em grandes quantidades por resultar em overdose dessa substância, gerando suor nas mãos e nos pés, e taquicardia.

 

 

Carqueja
(Baccharis Trimera)

A carqueja da família Asteraceae é uma planta medicinal amplamente utilizada no Brasil. Ela se destaca por proporcionar diversos benefícios para a saúde. A carqueja é aliada do fígado, contribui para uma boa digestão, ajuda no emagrecimento, tem ação diurética e ainda é boa para os diabéticos.  

A carqueja se destaca por conter óleos essenciais, flavonoides e saponinas. Os flavonoides tem forte ação antioxidante e por isso combatem os radicais livres, protegem o cérebro e o sistema cardiovascular e melhoram a circulação sanguínea. Já as saponinas são substâncias com um efeito anti-inflamatório que contribui para a redução do colesterol, entre outros benefícios.  

Aliada do fígado: Os flavonoides presentes na carqueja, especialmente a hispidulina, possuem ação hepatoprotetora, ou seja, protegem o fígado, e ainda contam com ação antioxidante.  

Protege o estômago: A carqueja possui propriedades digestivas, protege o estômago e ainda previne úlceras, isto porque extratos da planta são capazes de reduzir a secreção gástrica e ainda tem efeito analgésico. 

Bom para diabéticos: A carqueja é benéfica para pessoas com diabetes porque reduz a absorção de carboidratos consumidos na dieta. 

Ajuda a emagrecer: Alguns estudos apontam que a carqueja é capaz de aumentar a termogênese, gasto energético do corpo, o que contribuiria para a perda de peso. Além disso, a planta tem atividade diurética devido à ação dos flavonoides. 

 

Espinheira Santa

(Maytenus Ilicifolia)

Espinheira Santa é uma planta arbustiva, perene, que se assemelha ao azevinho, um arbusto muito utilizado como planta ornamental. Originária da América do Sul e muito presente na região sul do Brasil, a Espinheira Santa vem sendo utilizada a muito tempo pelos povos nativos dessas regiões como planta medicinal. Com o crescimento das cidades, a planta passou a ser muito utilizada principalmente nos meios urbanos, com registros da sua utilização no tratamento de gastrites, dispepsia, úlceras e indigestão datando de 1930. 

O nome espinheira santa se deve ao formato de suas folhas, que parecem ter vários espinhos e por ser considerada um “santo remédio” na linguagem popular. Outros nomes pelos quais ela também é conhecida são: salva vidas, coro-milho-do-campo, espinho de Deus, maiteno, sombra-de-touro, congorça e cancerosa.

Podendo ser utilizada como chá ou em cápsulas, as indicações de espinheira santa são várias. Os usos clássicos são para úlceras gástricas e intestinais, gastrite, dispepsia, indigestão, constipação e problemas no fígado. Outras indicações incluem anemia, câncer e como contraceptivo.

O chá feito a partir das folhas também pode ser aplicado topicamente em lesões da pele, machucados e câncer de pele.

Na medicina natural da Argentina, também faz-se uso de espinheira santa para quadros de infecções urinárias e respiratórias, diarreia, asma e para induzir a menstruação.

Muitos estudos têm sido realizados para identificar a ação da espinheira santa contra o câncer. Os fitoquímicos presentes na espinheira santa e que são os responsáveis pelas suas atividades biológicas no organismo humano são terpenos, triterpenos, taninos e alcaloides.